A mentira nossa de cada dia

Por 03/09/2014 , 0

Há alguns meses postei em meu Facebook uma reflexão pessoal sobre mentira. Todos mentimos, é inegável. Existem aquelas que são chamadas “mentiras de sobrevivência”, que não prejudicam ninguém (contanto que não vire um vício do “mentiroso”). Mas tem aquelas que escolhemos por covardia, medo ou culpa, para esconder a verdade não apenas pro outro, mas principalmente pra nós mesmos. E é sobre essa que compartilho minha opinião e te convido a usar os comentários logo abaixo do post para compartilhar a sua.


Mentir é acreditar que o outro não merece saber a verdade. Subestima o outro. Com o tempo as mentiras tendem a ficar mais leves, mas não são esquecidas facilmente com um pedido de desculpas e nem são apagadas na manhã seguinte. Mentiras mudam como nos sentimos sobre algo, sobre alguém. Mudam muita coisa que a gente nem entende.

Leva tempo pra entender e assimilar, principalmente quando mexem no nosso íntimo. E no meio de tudo isso, tem a confiança, algo complicado e elaborado de ser construído que, uma única vez danificada, exige dedicação e vontade de todos os envolvidos pra que volte a ser o que foi. Mas não volta né? É como uma cirurgia. Você sofre por um tempo, as cicatrizes ficam sutís e às vezes você nem lembra o que passou… mas elas estão ali, marcadas na pele, como um lembrete involuntário de uma etapa dolorosa das nossas vidas. Isso não é ter rancor, nem amargura. É ser humano e estar sujeito a ter a história de nossas vidas escrita com outros que vão interferir no nosso rumo. Pelo bem ou pelo mal.

Mentir é uma opção. É uma escolha egoísta de machucar o outro porque foi conveniente não dizer a verdade. E não há justificativas para feriar o outro com nossas próprias fraquezas. Então escolha bem as mentiras que você vive e se vale a pena arriscar pessoas e histórias que você facilmente pode perder. Muitas vezes, são perdas irreversíveis para todos. Mentirosos e “mentirados”. Então, se podemos optar pela verdade, pra que escolher viver pela perspectiva da mentira?